Skip to content

Empresas do setor de comunicação sentem os efeitos da crise

23/03/2009

 

Pesquisa divulgada pela Abracom (Associação Brasileira das Agências de Comunicação) revelou que 89% das empresas do setor de comunicação estão sentindo os efeitos da crise econômica nos seus negócios.

 

O número representa um aumento significativo em relação ao primeiro levantamento, realizado em outubro do ano passado, no qual 63% dos empresários estavam otimistas, acreditando que os seus negócios não seriam afetados e 53% afirmaram que já sentiam os impactos da crise nas suas instituições.

 

De acordo com o presidente da Abracom, Ciro Dias Reis, a solução para evitar consequências drásticas está nas próprias agências.

 

“Esse é o momento de elas mostrarem que podem ir além dos serviços prestados e conhecidos pelas empresas”, ressaltou Reis ao portal Comunique-se.

 

Oportunidades

 

O estudo também apontou que 50% das empresas de comunicação tiveram oportunidades de negócios desde o início da crise.

 

Além disso, entre as empresas entrevistadas, 61% informaram que não houve queda no número de prospecções/concorrências para novos projetos.

 

Outro fato relevante é que 30% das agências já receberam dos seus clientes demanda para o enfrentamento da crise.

 

Contratos

 

Com relação aos contratos, entre as empresas consultadas, 25% tiveram corte naqueles em andamento. Já 24% relataram suspensão de projetos, enquanto 17% renegociaram fee (valor pago pelo cliente por uma tarefa ou período à agência) em andamento e 17% renegociaram o fee na renovação de contratos.

 

Na pesquisa anterior, em outubro do ano passado, 29% das empresas tiveram de rescindir contratos, devido à crise financeira, e 13% substituíram contratos de longo prazo por projetos de curta duração.

 

No cenário econômico atual, 66% das empresas já sabem que terão de reprogramar os seus investimentos.

 

Agências de comunicação: resultados negativos

Agências de comunicação: resultados negativos

 

 

Demissões

 

Quanto ao corte de funcionários, até agora, 12% das empresas realizaram demissões. Já 24% planejam cortes, se houver queda na demanda de serviços.

 

Para Reis, os números não são nenhuma surpresa. “Não há setor que vai agir diferente. Se a demanda for reduzida, ninguém pensa em preço. É natural que haja preocupação de casar receita com despesa e que haja encolhimento de colaboradores nas agências”.

 

Reis lembra ainda que, nos últimos dois anos, pelo menos até setembro, outubro do ano passado, houve expansão no setor. Na sua opinião, as empresas se ampliaram e, por isso, esses não são número preocupantes.

 

Faturamento

 

O levantamento também mostrou que 42% das agências entrevistadas tiveram o resultado do faturamento no último trimestre afetado pela crise.

 

Em outubro de 2008, 48% das agências faturaram o mesmo nível que em 2007; 39% faturaram mais do que o ano anterior e 13% tiveram resultados piores. O panorama é o mesmo para este ano.

 

Para a maioria das empresas entrevistadas, os três serviços que serão mais afetados com essa crise são os de eventos, assessorias de imprensa e publicações.

 

Sobre a pesquisa

 

A pesquisa foi realizada na última semana de fevereiro de 2009, com a participação de 38 empresas, dentro de um universo de 304 agências associadas em todo o Brasil.

 

Análise

 

Apesar da queda no faturamento as informações sobre as oportunidades demonstram que o cenário para as agências de comunicação ainda não é dos piores. É natural que grandes clientes reduzam seus investimentos, principalmente aqueles que têm o mercado externo como grande responsável pelo seu faturamento, o que acaba afetando as empresas de comunicação que acabam tendo uma redução no seu buget. Apesar disso, acredito que os resultados da pesquisa demonstram certa normalidade, já que a crise é fato e a recessão mundial poderia causar resultados ainda mais negativos.

 

Mas um dos detalhes da reportagem que me chamou a atenção são as palavras do Presidente da Abracom, afinal esta é realmente uma grande oportunidade das agências serem criativas e irem além dos serviços prestados e conhecidos pelas empresas. A crise é sempre uma oportunidade para o crescimento.

 

Fonte: InfoMoney – Por Luana Cristina de Lima Magalhães

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. rafael francucci permalink
    23/03/2009 22:23

    Muito boa essa matéria

    • Ricardo Campos permalink*
      24/03/2009 12:45

      Olá Rafael, que bom que gostou.

      É uma matéria da InfoMoney que achei pertinente publicá-la, pois nos mostra o cenário vivenciado pelas agências filiadas a Abracom e nos ajuda a ter parâmetros para atuação. Apesar da crise, esta é realmente uma grande oportunidade das agências serem mais criativas e ousadas nas propostas, proporcionando estratégias mais direcionadas, com menor custo e melhores resultados.

      Um abraço,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: