Skip to content

Mercado anuncia a conclusão de mais um negócio na área da educação superior

09/02/2009

 

O Centro Universitário de Belo Horizonte – Uni-BH, uma das instituições mais tradicionais de Belo Horizonte, após anunciar dificuldades na gestão do seu negócio pela sua mantenedora, a Fundação Cultural de Belo Horizonte – Fundac-BH e enfrentar a ameaça de greve por parte dos professores e funcionários, anunciou no início desta semana a concretização de uma parceria com o Grupo Educacional Anima, mantenedora do Centro Universitário Monte Serrat, de Santos, e da mineira Una.

Os jornais da capital anunciaram a venda do Uni-BH para a Anima que se torna um dos maiores grupos educacionais de Belo Horizonte

Os jornais da capital anunciaram a venda do Uni-BH para a Anima que se torna um dos maiores grupos educacionais de Belo Horizonte

 

Com a concretização do negócio o Grupo Anima se posiciona como um dos maiores grupos educacionais de Belo Horizonte e região, quiçá do estado de Minas Gerais. Juntos, os dois centros universitários de Belo Horizonte mantêm mais de 30 mil alunos, distribuídos em diversos cursos e áreas do conhecimento.

 

Segundo informações do Portal Uai, para efetivar o negócio, a Fundac-BH deverá transferir a mantença do centro universitário para uma fundação a ser criada pelo Anima. O valor da operação só será fechado depois que uma empresa especializada, a ser escolhida em comum acordo pelas duas partes, fizer um inventário dos ativos mobiliários e do valor da marca do centro universitário.

 

45 anos de controle da Fundac-BH

 

Com a confirmação da compra do Uni-BH pela Anima chega ao fim 45 anos de controle autônomo do centro universitário pela Fundação Cultural de Belo Horizonte – Fundac-BH. Criada em 1964, a instituição que antes se chamava Fafi-BH, foi a primeira a oferecer cursos superiores noturnos na capital mineira.

 

Ao longo destes 45 anos a instituição adquiriu reconhecimento e notoriedade em diversas áreas, como as licenciaturas, comunicação e os cursos da área da saúde. O ápice deste reconhecimento foi a autorização do Ministério da Educação – MEC, para a oferta do curso de Medicina, vinculado ao Sistema Federal de Ensino. Vinculados aos cursos, a instituição tem como pilar um alto investimento em projetos de pesquisa e extensão, beneficiando milhares de pessoas da capital mineira e região.

 

Mas nem tudo são flores. Por ser uma instituição filantrópica, esta é a segunda vez que o Uni-BH passa por dificuldades na administração e gestão dos seus negócios, a primeira vez foi em 2003. Não é raro ouvir pelos corredores que os gestores repetiram os mesmos erros do passado e que a instituição, mesmo sendo filantrópica, não trabalhou corretamente de forma a garantir a sustentabilidade do negócio, sendo pressionado pela crise e falta de crédito no mercado financeiro. 

 

Num cenário de extrema competição e com a profissionalização da gestão de outras instituições, termina assim a gestão da Fundac-BH, que mantêm no negócio seus ativos imóveis, e cria-se um grande grupo educacional que promete brigar com as gigantes do setor que também já estão presentes no mercado mineiro, como a Anhanguera, a Estácio e a Kroton.

 

Veja a nota do Grupo Anima sobre a parceria 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: