Skip to content

Números indicam a tendência de consolidação no setor de educação superior

06/02/2009


O recente Censo da Educação Superior 2007 divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep e os números de aquisições e negócios envolvendo instituições de ensino superior em 2008 indicam a tendência de consolidação do setor. As aquisições movimentaram R$ 652,4 milhões no ano passado, em 34 negociações de instituições de ensino superior, atingindo 146,8 mil estudantes.

 

Apesar do aumento considerável de aquisições, especula-se que os números para 2009 sejam mais modestos, devido principalmente a crise econômica e as incertezas dos mercados. Esta retração é esperada já que as principais aquisições de 2008 foram lideradas pelas empresas capitalizadas com a abertura de capital na bolsa de valores.

 

Neste momento de tantas incertezas, a crise econômica gera um cenário curioso, pois apesar da previsão de diminuição no número de aquisições, as possibilidades no sentido contrário surgem com força, já que muitas instituições de menor porte já estão com uma situação financeira mais difícil, por causa da ociosidade das vagas, a inadimplência e a falta de crédito do mercado, facilitando assim o processo de aquisição.

 

aquisições e fusões devem acontecer em ritmo menor que 2008

Mercado Educacional: aquisições e fusões devem acontecer em ritmo menor que 2008

 

De acordo com a Fator Corretora, as empresas devem reduzir no curto prazo o ímpeto por novas aquisições, mas vão buscar barganhas no médio e longo prazos. No relatório, a corretora avalia que a perspectiva de restrição ao crédito deve ser mais severa para as instituições de ensino pequenas, que passam a ter menos acesso a linhas de crédito para capital de giro.

 

Análise do cenário

 

Em recente relatório a Fator analisou o cenário e revelou que neste ano as instituições que realizaram muitas aquisições devem dar maior espaço para o desempenho operacional, em busca da ampliação das margens.

 

De acordo com o relatório, a Anhanguera deve manter a liderança no processo de consolidação do setor, com um crescimento tanto orgânico quanto via aquisições, mas a concentração no público-alvo de jovens trabalhadores – mais sensíveis à crise – pode comprometer a rentabilidade do investimento.

 

Para a Estácio, a corretora prevê melhora na geração de caixa com consequência da recente reestruturação, o que poderia compensar a queda na demanda do setor.

 

O documento destaca que a Kroton, que desde o IPO fez 12 compras, tende a aumentar o número de alunos, em função do processo de maturação das novas aquisições. No entanto, a dificuldade no processo de incorporação dessas novas unidades, menos eficientes, pode ser demorado.

 

Em relação à SEB, a corretora estima crescimento em todas as áreas de atuação, que passam do ensino superior à distância, mas ressalta problemas na obtenção de certificação para o oferecimento de novas vagas de ensino superior.

Aquisições


Com informações da Agência Estado – Investimentos

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: