Skip to content

Mudança de valores no que diz respeito à sustentabilidade

28/11/2008

 

 

A nova carteira de empresas integrantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bovespa foi anunciada essa semana e, por isso, vários questionamentos foram levantados, principalmente porque companhias como Petrobras, Aracruz e Copel ficaram de fora da lista, o que não acontecia há muito tempo. Isso sugere mudanças importantes no que se refere à inclusão de práticas sustentáveis na gestão corporativa.

 

Não podemos negar que, muitas vezes, existem contradições no que diz respeito à responsabilidade social empresarial, mas é essencial assumirmos essas contradições, observando, constantemente e com cuidado, como esse aspecto tem sido tratado dentro das organizações.

 

Por isso, o Ethos sempre procurou auxiliar as empresas a repensar sua atuação, seu negócio e seus processos, sob a ótica da RSE. E não foi diferente com relação à Petrobras, por exemplo. Desde o início, o instituto se dispôs a ajudar a organização a resolver as questões relacionadas ao impacto do seu negócio no meio ambiente e na sociedade. Sugeriu que a empresa tomasse a frente nas discussões e soluções referentes aos combustíveis fósseis, o aquecimento global, a poluição e a saúde da população brasileira.

 

Está claro que não podemos esperar mais crises para começarmos a tomar atitudes em prol de um desenvolvimento sustentável, com responsabilidade, respeito e transparência. O Brasil está demonstrando um amadurecimento importante nesse sentido e a Bovespa comprovou isso, apontando que não há mais espaço para greenwash, ou “marketing verde”.

 

 

retórica ou ações pontuais?

Posicionamento verde: retórica ou ações pontuais?

 

Assim como o ISE, outras entidades serão cada vez mais exigidas no cumprimento desse papel, a exemplo de prêmios de responsabilidade, prêmios de excelência e outras iniciativas que são importantes referenciais para a RSE. Esperamos que a sociedade como um todo continue atenta, cobrando das empresas uma atuação mais responsável e também assumindo sua própria responsabilidade.

 

As reflexões de Pollyana e as informações do Instituto Ethos demonstram um novo momento do debate sobre a responsabilidade social empresarial e a sustentabilidade. Encarada antes como mais um modismo a divulgação do ISE demonstrou que apenas o discurso não é mais aceito como fundamento para se caracterizar uma empresa como sustentável. Mais do que nunca as empresas tem que realmente demonstrar ações pontuais que possam garantir transformações e impactos sociais e ambientais, e isso é muito positivo.

 

Agora as organizações vão ter que correr atrás do prejuízo e acrescentar uma palavrinha no seus dicionários: atitude.

 

Com informações de Pollyanna Melo com informações do Instituto Ethos – Portal Administradores

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: